Sábado, 9 de Setembro de 2006
1 de Setembro de 2006 – Mi casa es su casa

Ora a minha nova casa – vejam-na em http://www.jistec.or.jp/house/ninomiya/index.htm! Tenho de dizer que o flat é, como hei-de dizer, “muito querido, acolhedor”. Tamanho japonês (34 m2) mas com pormenores de interesse – como as portas de correr em papel de arroz e as sanitas com assentos aquecidos e jactos de água a condizer. O flat tem duas divisões, a zona da cozinha/hall e a sala/quarto, separadas por uma porta de correr. A casa de banho, minúscula, parece que foi moldada em plástico e instalada de uma só penada, sanita incluída. Estou no quarto andar, com vista para cidade e para o meu laboratório, e para os campos de arroz, mesmo nas traseiras do meu prédio. Tem piada pois esta cidade ainda conserva muito de rural, com campos e hortas polvilhados no meio de prédios comerciais e residenciais. Mas talvez isto vá mudar em breve pois parece que com o novo comboio a fazer Tóquio – Tsukuba em 45 minutos muita gente vai querer vir viver para cá! Continuando...a casa faz parte de um empreendimento da fundação japonesa para as trocas de conhecimento científico e tecnológico (JISTEC). Construíram dois blocos de apartamentos com vista a proporcionarem alojamento, em Tsukuba, aos investigadores estrangeiros. E devo dizer que é uma bênção pois nem quero imaginar se tivesse de ir pelo privado...é uma complicação dos diabos não só pelas burocracias mas sobretudo pelas inúmeras regras e formalidades e códigos sócio-culturais envolvidos! A renda, mesmo assim, é um bocado carota mas vale a pena devido aos vários serviços e extras da Casa Ninomiya. Temos uns eventos porreiros - a começar pelas noites de Ikebana (arranjos florais japoneses) e passando pelas aulas de japonês gratuitas (pois é, de graça!). Temos um ginásio, biblioteca, sala de reuniões e seminários, jardins Zen à la japonaise, ...e em cada flat, o luxo de ter telefone, fax, televisão, microondas, enfim toda a parafernalia de electrodomésticos e todos de marcas japonesas...Panasonic, Sanyo, Casio, Sharp, ...Mas interessante são as regras para reciclagem. Nisto devo dizer que nunca vi coisa igual! Qual Alemanha, Áustria, países nórdicos e outros...aqui a reciclagem é real e a doer... de tal forma que não há caixotes de lixo nas ruas, apenas compartimentos que recolhem ou garrafas, ou pilhas, ou latas, ou ... tudo no seu lugar específico, tudo separado...e não há como fugir a isto. Difícil mas definitivamente positivo. Entretanto ainda não conheço os meus vizinhos mas, pelos nomes nas caixas de correio, é bastante internacional – creio que sou o único português, não há brasileiros e suspeito que apenas um ou dois espanhóis. A casa em si fica a 20 minutos a pé do centro da cidade e outros 20 do meu laboratório. Entretanto também aluguei uma bicicleta pois aqui é como em Oxbridge, são cidades pequenas mas ajuda muito quando se pode pedalar de um lado para o outro. Mas não convém esforçar muito! É que está um calor... eu já não estou habituado a temperaturas a rondar os 30, e para mais com uma humidade enorme. Isto faz com que passemos quase todo o dia a suar! De quando em quando, uma chuvada para arrefecer. Abraços e beijinhos, amanhã há mais.



publicado por pmfjcosta às 14:41
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
Novembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

The end (sort of)

Chinesices

A preguiça ao poder

Espreitando o mundo da al...

Pirotecnia servida aos tr...

Um chapéu de três bicos

Talk shows japoneses

Um novo sensei: Nakagawa-...

Martin, contador de histó...

A Tour Eiffel, ao vivo e ...

arquivos

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

links
Poll
Stats
blogs SAPO
subscrever feeds