Quarta-feira, 4 de Outubro de 2006
Martin, contador de histórias

No domingo passado, conheci o Martin, um australiano dono do único pub aqui perto da residência. Está casado com uma japonesa e vive por cá já lá vão uns 10 anos. Junto com o Joe, um estudante de Dublin, fomos beber umas cervejas australianas e acabámos a trocar impressões sobre os japoneses e os seus costumes. Assim ficámos a conhecer “o Japão segundo o Martin”. Por exemplo, o facto de os nipónicos terem um distribuição de salários muito mais igualitária que na Europa ou Américas. Vai daí, as diferenças entre um empregado de mesa e o patrão de uma empresa embora grandes não chegam aos extremos europeus. Mas melhor que isto foi o que eles nos ia contando construções japonesas. Para alem de diminutos em espaço, como se tivessem sido comprimidos até ao limite do habitável, os prédios por aqui são por vezes bastantes estranhos. Na verdade, muitas vezes parecem barracões pré-fabricados. E isto mesmo em blocos de apartamentos para famílias de classe média, por vezes média-alta. Segue que os nipónicos não dão pelos vistos tanta importância ao conforto doméstico. Isto é incrível mas temos por aqui prédios com paredes feitas de sei lá, madeira ou plástico ou que raio eles usam – de qualquer forma, não é betão, nem tijolo! São mais maleáveis, contra terramotos, dizem eles! Aquela coisa das casas “a la japonaise”, bem típicas e grandes, são para poucos, muito poucos. O japonês médio vive numa caixa de fósforos. E mesmo essas são caríssimas! Pelos vistos tudo isto advém de um misto de cultura aliada a um certo proteccionismo de mercado por parte das construtoras que faz com que construir uma casa tenha custos proibitivos.

Pois acho que a casa que tenho não sendo um palácio é pelos padrões japoneses um luxo. Isto realmente há dois Japoes. Há o Japão das revistas, das mega-empresas e dos turistas e do outro lado o Japão do quotidiano, o Japão real, onde as casas são minúsculas, muitas vezes sem condições mínimas necessárias, especialmente fora das grandes cidades. O Martin queixava-se que só recentemente – quando veio para Tsukuba - é que começou a viver numa casa com agua canalizada! Que muitas das casas do interior não tem os confortos mínimos! Ainda tenho de ver se isto é verdade, parece-me incrível num país que é suposto ser um dos mais desenvolvidos e ricos do mundo!



publicado por pmfjcosta às 15:44
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
Novembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

The end (sort of)

Chinesices

A preguiça ao poder

Espreitando o mundo da al...

Pirotecnia servida aos tr...

Um chapéu de três bicos

Talk shows japoneses

Um novo sensei: Nakagawa-...

Martin, contador de histó...

A Tour Eiffel, ao vivo e ...

arquivos

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

links
Poll
Stats
blogs SAPO
subscrever feeds