Quinta-feira, 12 de Outubro de 2006
Talk shows japoneses
Depois de passar cerca de 6 anos sem televisão em casa, finalmente tenho uma destas caixas para me entreter. Em Inglaterra, talvez porque tinha fácil acesso à Internet de banda larga (vantagem de estar em residências universitárias!), nunca me preocupei muito. Agora, tendo-a aqui é difícil resistir (tanto mais que tenho uma ligação Internet pré-histórica! De noite isto não dá nem para os emails!).
A minha readquirida atracção pela televisão advém dos muito sabores exóticos que constituem os canais japoneses. Não percebo nada do que dizem mas lá que é engraçado, lá isso não haja dúvidas. Na televisão estatal (e outros canais públicos) abundam os programas de talk-show/variedades tipo Herman José. No entanto, o visual aguerrido e colorido do show português fica muito aquém daquilo que por aqui se vê. Programas muito, mas mesmo muito kitsch são a norma aqui no Japão. Para mais eles têm uma quantidade enorme de concursos estapafúrdios, alguns que dificilmente se percebem. Mas a bem dizer há uns dias atrás vi a versão japonesa do Quem quer ser milionário? – vi, note-se! Sim, porque perceber....Outra presença quase ubíqua são os programas sobre comida ou melhor, sobre indivíduos a comer. Parece uma obsessão - ligamos a televisão, fazemos um zap rápido e, de 3 em cada 5 canais em média, lá está um fulano qualquer a dar ao dente, a sorrir para a camera de boca cheia e com os pauzinhos no ar. Enfim,...japonesices.
Outro pormenor engraçado são os telejornais da televisão estatal, NHK. Se pensam que o pessoal da RTP é sectário e gostam de se armar em engraçadinhos...os locutores nipónicos são extremamente opinativos e não se coíbem de tecer comentários de cada vez que um excerto noticioso termina. Depois de mostrarem a reportagem, é relativamente comum que a equipa de locutores (normalmente uma mulher e um homem) se virem um para o outro e comecem a trocar impressões sobre o assunto durante coisa de meio minuto ou mais. Assim ficamos a saber que eles têm muita pena pelo facto de o gato da Joana ter sido atropelado e que, por conseguinte, os condutores deveriam ter todos mais cuidado, são todos uns malvados e que agora a pobre da Joana está muito aflita e que isto assim não pode continuar, bla, bla, bla,...mais parece um sermão de padre...não há paciência!
Aparte isto de vez em quando mostram uns blockbusters americanos em difusão bilingue (louvável, cabe ao espectador escolher se quer assistir ao filme em inglês ou japonês!). Enfim, mais haverá para contar como o canal tv-shop cá do sítio (24 horas só para compras) ou os intermináveis jogos de basebol, sejam eles da liga japonesa ou americana!
É preciso ver para crer.


publicado por pmfjcosta às 16:09
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
Novembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

The end (sort of)

Chinesices

A preguiça ao poder

Espreitando o mundo da al...

Pirotecnia servida aos tr...

Um chapéu de três bicos

Talk shows japoneses

Um novo sensei: Nakagawa-...

Martin, contador de histó...

A Tour Eiffel, ao vivo e ...

arquivos

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

links
blogs SAPO
subscrever feeds